1 – Uruguaiana-Saara: o paraíso carnavalesco

Se você está procurando fantasias, desde as mais elaboradas até apenas apetrechos carnavalescos, aqui é o lugar! Não só pela variedades dos itens mais malucos que você pode encontrar, mas também pelo preço que é sempre em conta. Aliás, os vendedores normalmente são bem abertos a pechinchar, principalmente se você estiver levando bastante coisa. Então não se envergonhe e barganhe!

2 – Bebeu água?! SIM! Tá com sede?! SIM!

O carnaval sempre acontece em pleno verão carioca, então é impossível fugir do calor e do sol de 40 graus dessa época. Apesar da cerveja ser a grande protagonista da festa, não esqueça de beber muita água! Se hidratar bem é fundamental para poder curtir ao máximo a festa pelas ruas do Rio.

3 – Fator 15, 30, 60…

“Senhoras e senhores da turma de 2003: Filtro solar! Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro seria esta: Usem o filtro solar!”. Pedro Bial tem razão. A dica vale para todo o verão, mas especialmente para o carnaval. Se tem uma coisa que ninguém quer pegar na maior festa popular do mundo é uma insolação, né? Outra coisa: procure fugir de fantasias pesadas e prefira roupas frescas sempre.

4 – E um último toque sobre o quesito proteção…

O Carnaval desde sua origem é considerado a festa da carne. Era considerado o último período antes da quaresma católica que se podia comer carne, seguindo-se posteriormente o rigoroso jejum e abstinência de alimentos de origem animal. #NossoBlogTambémÉCultura.. Mas todo esse prólogo é basicamente para dizer que o carnaval também virou sinônimo de festa da carne no sentido figurado, então não marque bobeira e use camisinha!

5 – Money belt/pochete: agregando valor a sua fantasia

Aquela dica que a gente já deu em relação à praia, vale o dobro no carnaval: só saia para os blocos com itens essenciais e pouco dinheiro. Nada de sair com joias, celulares, relógios e coisas de valor. Passaporte? Deixe o original e leve uma cópia com você. A melhor maneira de manter seu dinheiro são e salvo é carregando uma money belt, ou então uma pochete.

6 – Lembre-se: é carnaval!

A cidade estará lotada de turistas, várias ruas interditadas para passagem de blocos, então ter paciência é algo fundamental. E se preparar mentalmente para passar alguns perrengues também. Por isso o negócio é entrar no clima de Momo, carregar na purpurina, no confete e na serpentina e colocar o bloco na rua sempre.

7 – R-e-s-p-e-i-t-o

Paquera e ~clima de azaração~ também super fazem parte do carnaval. Amores e paixões de carnaval são tão presentes na folia quanto a purpurina que vai ficar grudada dias no seu corpo mesmo após 20 banhos. No carnaval, as pessoas se sentem mais livres para amar, fugir das amarras sociais e curtir um momento de felicidade sem lembrar dos problemas cotidianos. Então, por favor, não atravesse o samba com demonstrações de homofobia, racismo e principalmente assédios. Sempre é bom lembrar que não é não!

8 – “Tá com vontade de fazer xixi?! Não faz aqui, não faz aqui!”

A cidade do Rio tem uma lei municipal que costuma ser bastante aplicada nessa época do ano, então é bom ficar atento: jogar lixo ou fazer xixi no chão está sujeito a uma ida à delegacia e pagamento de multa. Para você ter uma ideia, no último Carnaval mais de 2 mil pessoas foram multadas por cometer uma das duas infrações. A multa por xixi na rua é de R$ 510. Para quem jogar lixo no chão, as multas variam entre R$ 115 a R$ 3.693, dependendo da infração.

9 – Tem app carnavalesco?! Tem sim, senhor!

E é um ótimo jeito de conseguir montar a sua programação de folia. Aplicativos de smartphones como o CarnaBloco e o do jornal O Globo revelam horários e trajetos de todos os blocos cadastrados na listagem oficial da prefeitura do Rio. Mas fique atento que os horários às vezes podem ser alterados sem qualquer grande aviso prévio, o que transforma a próxima dica em fundamental.

10 – S.A.C. 021

Qual bloco ir? Que tipo de música toca nele? Enche muito? A melhor maneira de descobrir quais são os melhores blocos é fazer amizade com os cariocas e bombardeá-los com perguntas. O que é uma tarefa bastante simples, certamente o que não vai faltar é gente querendo de contar sobre alguma experiência marcante com algum bloco e explicar exatamente a quantidade de pessoas, percursos e tipo de música que toca em cada um deles.

11 – Espontaneidade rules

Alguns blocos carnavalescos não pertencem à lista oficial da prefeitura do Rio. São chamados por alguns de blocos ilegais, mas a maioria das pessoas aqui prefere chamar de blocos alternativos ou secretos. Um dos motivos para o segredo, além de evitar a fiscalização do poder municipal, é manter o clima do bloco mais íntimo, já que a quantidade de pessoas que saberão sobre ele é menor. Esse blocos tendem a fazer percursos surreais, como por exemplo atravessar o aeroporto Santos Dumont de ponta a ponta, e são muito divertidos. Então a dica anterior também vale aqui: pergunte sempre aos locais.

12 – Unidos do Metrô… NOTA 10!

Com muitas ruas fechadas, o trânsito da cidade fica ainda mais caótico e, além disso, como a procura por táxis e Uber é muito grande, as tarifas cobradas por cada corrida serão altíssimas. A solução para isso é usar e abusar do metrô: você pode chegar e sair de praticamente todos os blocos mais famosos da cidade através do metrô. Ele estará cheio? Sim, certamente. Mas é de longe o mais rápido e eficiente jeito de chegar até os blocos. Ah, e sair dos blocos também. O metrô da cidade funciona 24h durante o feriado carnavalesco.

Comments

comments